Slow Dentistry: porque é melhor abrandar

Slow Dentistry: porque é melhor abrandar

Num mundo que está tão habituado a andar depressa, é cada vez mais importante saber quando e onde abrandar. E acontece que a medicina dentária é uma dessas áreas - graças ao fenómeno global Slow Dentistry que ganhou popularidade em mais de 50 países em todo o mundo. Sei o que está a pensar: porque é que os pacientes querem passar mais tempo no dentista do que já passam? Vamos discutir porquê.

Vamos explicar: o que é a Slow Dentistry?

A sua saúde oral está tão ligada à sua saúde sistémica que, se algo não for detectado numa fase inicial, pode ter um grande impacto no seu bem-estar geral. E se mais alguns minutos na cadeira do dentista significam menos dor e desconforto a longo prazo, quem não quer isso? Slow Dentistry é o conceito de implementar uma experiência cuidadosa e, portanto, um pouco mais longa, nas consultas dentárias. Isto é conseguido sob a orientação de 4 directrizes universalmente aceites que podem ser praticadas em qualquer parte do mundo, por qualquer dentista: desinfecção do consultório, anestesia adequada, dique de borracha, consentimento informado.

E a verdade é que pode mudar completamente a sua experiência no dentista:

  • Permite a desinfecção adequada de todo o consultório (como cadeiras, puxadores de portas e apoios de braços), em vez de apenas do equipamento médico.
  • Dá mais tempo aos médicos e aos pacientes para fazerem perguntas importantes e se sentirem bem informados sobre o estado da sua saúde e do seu tratamento.
  • Evita que os dentistas deixem passar coisas como cáries pequenas e discretas, que podem tornar-se extremamente dolorosas e debilitantes.
  • Evita erros como obturações incorrectamente executadas que podem resultar em restaurações falhadas que levam a complicações.
  • Contribui para uma experiência indolor: a anestesia, por exemplo, demora algum tempo a começar a actuar. Um trabalho apressado significa que os dentistas podem não esperar o tempo necessário para que a anestesia faça todo o seu efeito.
  • Ajuda a reduzir os longos tempos de espera nas salas de espera, com tempo previsto para eventuais atrasos.
  • Atribui um tempo valioso para acalmar qualquer ansiedade que o paciente possa ter em relação à ida ao dentista (especialmente importante com crianças).
  • Mantém os médicos mais concentrados no paciente que têm à sua frente, ajudando-os a dar prioridade à qualidade em vez da quantidade.

Porque é que a qualidade dos cuidados prestados aos pacientes continua a ser sacrificada?

Parece tratar-se de uma questão social (uma consequência natural do capitalismo). Os médicos tendem a ser caros, o que leva os pacientes a queixarem-se dos custos. Esta situação leva os médicos a tentarem encontrar formas mais económicas de prestar cuidados de saúde (como ver mais pacientes) – mas isto tem sempre as suas desvantagens, por muito boas que sejam as intenções. Mais doentes = menos tempo para prestar cuidados adequados.

Mais barato e mais rápido nem sempre é melhor! Em medicina dentária é, de facto, muito pior. Eis porquê:

  1. O diagnóstico correcto de um problema logo à primeira pode reduzir ao mínimo as visitas dos pacientes à clínica dentária. Paga-se por consulta, pelo que é sempre mais barato pagar mais e ir uma ou duas vezes do que pagar menos e ir 5 ou 6 vezes.
  2. Os doentes podem evitar mais infecções graças à desinfecção correcta da sala e dos instrumentos e à utilização correcta de protecções adequadas, como os diques de borracha, que demoram algum tempo a colocar, mas são cruciais para a segurança dos pacientes.

Como encontrar uma clínica Slow Dentistry?

Como é que pode encontrar um dentista que pratique Slow Dentistry e que esteja dentro do seu orçamento? Principalmente ao ser observador. Nem todas as clínicas com boas práticas se consideram activamente defensoras da “Slow Dentistry”, mas existem algumas formas de descobrir por si próprio:

  • Tente descobrir quantos pacientes a clínica atende por cadeira/por hora. Isso deve dar-lhe uma boa ideia da velocidade a que funcionam.
  • Veja quanto tempo passa entre a saída do último paciente do consultório e a sua entrada. Se for chamado imediatamente, é muito provável que a desinfecção não tenha sido feita correctamente.
  • Considere a forma como as suas perguntas são respondidas. A equipa demora o tempo necessário ou parece estar a apressá-lo?
  • Pergunte a si próprio: a localização deste dentista poderá estar a inflacionar o preço? As clínicas mais centrais tendem a ser mais caras do que as mais pequenas e locais. Utilizar os transportes públicos para chegar a uma cidade mais pequena pode ser uma boa ideia para ajudar a reduzir os custos.
  • Observe a linguagem corporal do seu dentista. Estão relaxados e empenhados, ou stressados, distantes e apressados?
  • Descubra se é uma clínica Slow Dentistry – os membros desta Rede Global têm um certificado acreditado e assumiram um compromisso genuíno para garantir as 4 directrizes da Slow Dentistry e praticar cuidados de saúde oral de excelência.
  • Se ainda não são um membro, porque não falar com o seu dentista sobre a Slow Dentistry, e convidá-lo a descobrir mais em www.slowdentistryglobalnetwork.org. Como paciente, tem o direito de lutar pelos seus direitos. E também tem o direito de inspirar o seu próprio dentista a fazer essa mudança!

A Slow Dentistry também ajuda os dentistas a poupar dinheiro a longo prazo: se tiver tempo para uma desinfecção adequada, consentimento, avaliações, exames, consultas, cirurgias… reduz o risco de negligência e tem um ficheiro detalhado e informado do paciente para o provar. Se tiver mais tempo para falar com os seus pacientes, também obtém mais informações de base que podem ser vitais para o seu diagnóstico. Em suma, abrandar significa respirar fundo e menos stress para todos.

Mantenha-se saudável e seguro – abrande.

Para mais informações, visite a Slow Dentistry Global Network no Instagram, Facebook e LinkedIn ou entre em contacto directamente aqui.

Related Posts

Dentes saudáveis = Olhos saudáveis

A ligação entre uma saúde oral deficiente e doenças oculares, em particular o glaucoma, é uma área de interesse emergente na investigação médica. E apenas mais uma prova científica de que todos os órgãos do nosso corpo estão ligados à nossa boca, desde o cérebro e os olhos até ao intestino e o coração.

Read More

Dentes saudáveis = Sistema reprodutor saudável

Lidar com problemas de fertilidade pode ser um processo emocional para muitos casais. Uma investigação da Johns Hopkins de 2022 revela que “embora as taxas de infertilidade nos EUA tenham estabilizado, o problema persiste para muitos indivíduos”. E todos nós conhecemos alguém que tem ou está a lidar com problemas reprodutivos. Mas sabia que a saúde oral também pode afectar a fertilidade?

Read More

Dentes saudáveis = Pele saudável

Quando se trata de saúde, nem todas as pessoas são iguais e algumas são mais sensíveis do que outras. Quem lida diariamente com problemas de pele sabe-o muito bem. O que talvez não saibam é que existe uma forte ligação entre a gestão da saúde oral e a gestão de uma variedade de doenças da pele.

Read More
Scroll to Top